"Enquanto eles capitalizam a realidade eu socializo meus sonhos." Sérgio Vaz

"O amor é o fascínio recíproco de duas pessoas por aquilo que elas têm de menos dizível, de menos socializável; de refratário aos papéis e imagens delas mesmas que a sociedade lhes impõe; aos pertencimentos culturais. Nós podíamos pôr quase tudo em comum exatamente porque a princípio não tínhamos quase nada. Bastava que eu consentisse em viver o que eu estava vivendo, em amar mais do que tudo o seu olhar, a sua voz, o seu cheiro, seus dedos afilados, o seu jeito de habitar o seu corpo, para que todo o futuro se abrisse para nós."

Você vai descobrir que aquela não é a primeira pessoa que vai embora sem um porquê, ou sem dizer. De qualquer maneira, você deveria perceber que quase ninguém fica.